“Pior ainda está por vir”, diz Bolsonaro sobre manchas de óleo

Publicado por 4 de novembro de 2019 às 09:45

O volume de petróleo que chegou às praias do Nordeste e foi recolhido até agora representa apenas uma pequena quantidade do que foi derramado, “então, o pior ainda está por vir”. A declaração foi dada pelo presidente Jair Bolsonaro, durante entrevista veiculada na noite de domingo (3) na TV Record. “Temos um anúncio de uma catástrofe ainda maior que está para acontecer por causa desse vazamento que, pelo que tudo parece, foi criminoso”, acrescentou.

O presidente comentou sobre a possibilidade de nem todo o óleo derramado chegar às praias brasileiras, “se bem que, as correntes, tudo indica, foram para a costa do Brasil” admitiu. “Ele pode ter passado pelo Brasil e retornado para costa africana e para outro local qualquer”, sugeriu. Bolsonaro reiterou que todos os indícios levam para o derramamento tenha sido feito pelo cargueiro grego, de forma criminosa. “Falta apenas bater o martelo”, disse.

Na semana passada, a Polícia Federal informou que a partir da localização da mancha inicial de petróleo cru, a aproximadamente 700 quilômetros da costa brasileira, foi possível identificar um único navio petroleiro de origem grega que navegou pela área suspeita entre os dias 28 e 29 de julho, datas em que se suspeita que o derramamento tenha ocorrido.

O presidente também disse que quando as manchas começaram a aparecer nas praias da Paraíba, em 2 de setembro, ninguém imaginava o tamanho da catástrofe, mas Forças Armadas, Ibama, ICMBio, prefeituras e voluntários passaram a atuar na limpeza das praias.

“Conforme foram avolumando a quantidade de óleo, outras medidas foram tomadas”, disse o presidente, tentando rechaçar as críticas de que o governo demorou a tomar atitude para combater as manchas.

Força-tarefa tenta conter óleo em Abrolhos

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, destacou no domingo (3) que a força-tarefa formada por agentes públicos de diversas instâncias, pescadores e voluntários tentará conter a poluição por óleo que atingiu neste fim de semana o Arquipélago de Abrolhos, no sul da Bahia. Um plano de contenção civil está sendo executado desde o dia 12 e já evitou a chegada à área de 19,2 mil quilos de resíduos.

Silva sobrevoou Abrolhos no domingo e destacou que nenhuma mancha havia sido relatada e a limpeza do material encontrado sábado estava em andamento. Segundo ele, foi montado um cerco com seis embarcações, quatro da Marinha e duas da Petrobrás.

“E temos também lançado botes e mergulhadores nossos para fazer vistoria nos corais. Isso sem contar o pessoal do ICMBio (ambiental). E há a participação fundamental das pequenas embarcações – que só elas podem entrar em alguns lugares. Se precisar, ainda mobilizaremos o Exército.”

A Associação Mãe Reserva Extrativista de Canavieiras (Resex), que trabalha com pescadores e voluntários, observou que a primeira mancha de petróleo foi relatada no dia – com 120 quilos de óleo. Chamada de “SOS Mangue Mar Canes”, a iniciativa já retirou quase 20 mil quilos de poluentes de dentro do mar e da faixa de areia.

De acordo com Carlos Pinto, da Resex, a região é monitorada 24 horas, com aval do ICMBio, que ajuda com transporte e alimentação, além de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). “Nossa equipe está agindo em caráter de urgência mesmo. Como o vento mudou de direção, pode ser que isso colabore com a chegada de mais óleo”, completa.

Ele destaca o risco à economia local, pois mais de 2,5 mil famílias sobrevivem da venda de pescados. “Quando não encontrarmos mais nada, ainda vamos observar por mais 15 a 30 dias.”

Fonte:Op9

Fonte:

Tags:  
Link de Acesso a Matería
“Pior ainda está por vir”, diz Bolsonaro sobre manchas de óleo – O Itaqui Notícias “Pior ainda está por vir”, diz Bolsonaro sobre manchas de óleo | O Itaqui Notícias